Sandro Dias fala com a TripZone sobre a inclusão do skate nas Olimpíadas

0

No ano passado, o COI – Comitê Olímpico Internacional, confirmou a entrada do skate nos Jogos Olímpicos de Tóquio, que serão realizados no ano de 2020. Mas a ideia sempre dividiu opiniões na elite do esporte, já que muitos têm receio em relação ao sistema de pontuação, julgamento, além do formato que a competição teria. Outro temor em cima da inclusão do esporte no calendário olímpico é que o skate possa perder a sua essência de ser um esporte que não tem leis, praticado na rua.

O hexacampeão do mundo e um dos maiores nomes do skate mundial, Sandro Dias, o “Mineirinho”, que fez parte do comitê do skate para as Olímpiadas, e agora diretor de esportes da CBSK – Confederação Brasileira de Skate, conversou com a gente e disse o que acha da inclusão do esporte nos Jogos de 2020 e aproveitou para falar sobre o seu Camp de férias.

“O Skate agora faz parte das olimpíadas, eu fiz parte do comitê do skate desde 2003, quando começou a ideia, a gente vinha tentando inserir na Rio 2016, afinal, o skate no brasil é o  segundo esporte mais praticado, mas por questões burocráticas não conseguimos… Para gente foi uma conquista grande. Foi bem legal, eu sempre fui muito a favor, desde que a Olimpíada respeite nosso esporte, que já é consolidado, tem suas regras e seu jeito de ser, até em questão de competição.” – disse o Hexacampeão mundial.

Outro receio por parte dos skatistas é de que a inclusão no calendário olímpico possa mudar o esporte. Mineirinho acredita que a entrada do skate nos Jogos é válida, já que com isso, seria possível atingir um público diferenciado e que a mídia daria mais valor, além de ter mais espaço nos meios de comunicação, mas faz a ressalva sobre essa preocupação.

“Se eles tentarem a mudar alguma coisa, uniformizar os skatistas, eu sou o primeiro a levantar a mão, até porque o skate não é isso. Outra coisa, eu acredito que as olimpíadas precisam mais do skate, do que o skate das olimpíadas, o skate é um esporte grande, um esporte consolidado, é um estilo de vida, a gente vive e respira o skate.”

Foto: AM18 Filmes

Com a entrada do skate confirmada pelo COI, o Brasil é um dos grandes favoritos as medalhas, já que conta com grandes skatistas no cenário mundial. Sandro Dias destacou quem seriam para ele, os principais nomes brasileiros na categoria masculina e feminina, caso os jogos ocorressem hoje.

“Hoje nas modalidades que tem, acho que era Pedro Barros no Park, no Street, Luan de Oliveira e Kelvin Hoefler. No feminino, no Street a Pâmela Rosa e Leticia Bufoni, e no Park Feminino teria que fazer uma classificatória, já que tem muita menina boa. A gente seria muito bem representado.” – destacou.

Sandro Dias disse que se tiver oportunidade de participar dos Jogos, se esforçará ao máximo para que isso seja possível, já que em 2020, o hexacampeão terá 45 anos.

Com toda essa longevidade na carreira, Mineirinho falou o segredo para conseguir atuar tanto tempo em um alto nível.

“Ando de skate há 32 anos, vinte e dois como profissional, e o segredo é fazer por amor, fazer por amor o que você mais gosta, ando de skate não porque eu preciso, não por uma obrigação, mas porque eu realmente gosto, amor ao carrinho e isso faz com que a gente tenha uma longevidade, não sei se a geração atual tem o amor que a minha tem, mas eu gostaria que eles tivessem, que possam ter uma carreira longa como a minha, eu não pretendo parar de skate nunca, independente se estou competindo ou não.”

 

Compartilhe.

About Author

Vinicius Reche

Tinha o sonho de ser jogador de futebol. Apaixonado por todos os tipos de esportes, tem como principal desejo, viajar por todo mundo para curtir lugares novos, e experiências únicas. Atualmente, cursa o último ano de Jornalismo na Universidade Metodista de São Paulo.

Leave A Reply

1 2 3 4 5