Ilhas da Tailândia – Um Paraíso no Sudeste Asiático

0

Escolher as ilhas da Tailândia para visitar não é uma tarefa tão fácil quanto parece, visto que há tantas opções, todas com paisagens paradisíacas. Há ilhas para todos os gostos, para mergulho, snorkeling, passeios de barcos, escalada, trilhas, cliff jumping (mergulho de penhasco), festas e aulas como yoga, massagem, culinária e muay thai, algumas com mais estrutura, outras mais rústicas ou mais relax.

Nós optamos pelas ilhas mais conhecidas. Do lado direito, no Golfo da Tailândia, fomos para Koh Phangan, badalada por sua festa da Lua Cheia e para Koh Tao, o paraíso do mergulho, já do lado esquerdo, no Mar de Andaman, fomos para Koh Phi Phi, famosa ilha onde foi gravada o filme “A Praia” com Leonardo DiCaprio. O deslocamento de um lado ao outro da costa tailandesa é um pouco demorado, então deixe um dia livre para isto no seu roteiro.

Eu acabei indo duas vezes para as ilhas do lado direito, a primeira vez com umas amigas que estavam de férias em novembro, fim do período das monções, então as ilhas estavam mais tranquilas.  Já na segunda vez eu resolvi voltar passar o réveillon em Koh Phangan com um grupo de brasileiros que conheci durante a viagem e em seguida voltei para Koh Tao, mas a ilha estava super lotada, bem diferente do local tranquilo que conheci da primeira vez.

Vou contar um pouquinho de cada ilha que conheci e algumas coisas legais para fazer por lá.

Ilhas da Tailândia – Koh Phangan

Koh Phangan é conhecida pela sua famosa festa da Lua Cheia “Full Moon Party”, mas a ilha não é só isso, ela é bem grande e há muito mais o que fazer por lá. A festa acontece na praia de Haad Rin, no sul da ilha e essa região é a mais badalada, cheia de bares, party hostels e pool parties em hotéis. Já o norte da ilha é bem mais tranquilo e em minha opinião onde estão as praias mais bonitas, como Salad Beach, Mae Haad – que tem uma ilhota próxima chamada Koh Ma que é ligada à praia por uma faixa de areia, Chaloklum e Malibu Beach. A ilha é cheia de cachoeiras, mas algumas não são de fácil acesso e a melhor forma de chegar é por moto. Aliás, esta é a melhor forma de locomoção na ilha ou o “taxi” compartilhado, que são caminhonetes adaptadas com bancos e cobertura na parte de trás.

Praia de Mae Haad com a ilha de Koh Ma ao fundo.

Carregando a energias na Cachoeira Paraíso.

Logo que chegamos o dia estava nublado e com um pouco de garoa e resolvemos alugar uma scooter para desbravar a ilha. A única coisa que pediram foi nosso seu passaporte e não precisa ter habilitação para moto para dirigir por lá. Outra diferença, é que quase não se encontram postos de gasolina e eles vendem a gasolina em garrafas na beira da estrada. Fomos até o norte da ilha e depois descemos até o sul no local da festa, só não esperávamos que para chegar lá tivéssemos que atravessar uma serrinha de mão dupla com curvas bem fechadas e ainda mais quando já estava escurecendo – passamos um pouco de medo, pois a maioria das meninas, incluindo eu, tinha acabado de aprender a dirigir, mas valeu a aventura!

Preparadas para a aventura depois de abastecer nossa motinho.

Um passeio que vale muito a pena fazer por lá é para Angthong National Marine Park. É um passeio de um dia que se faz em uma lancha rápida até o arquipélago deste parque marinho.  Na primeira parada fizemos snorkelling nas suas águas cristalinas, depois paramos em uma ilha e subimos até o mirante para ver a lagoa Esmeralda, que é linda e verdinha e parece uma lagoa por estar cercada de montanhas rochosas, depois partimos para outra ilha aonde paramos para almoçar em um restaurante rústico, a comida estava uma delícia. A próxima atividade foi um passeio de caiaque no meio das ilhas e depois fizemos mais uma parada para descanso em outra ilha, com direito a companhia de macaquinhos.

Vista da Lagoa Esmeralda.

Parada para snorkelling entre as ilhas.

Voltando a Koh Phangan, como é afinal essa tão famosa Full Moon Party? A festa é pé na areia, acontece na praia de Haad Rin e se paga 100 baths (R$10,00) por uma pulseira para circular por lá. A galera vai vestida a caráter, com roupas super coloridas, tye-day ou fluorescentes, abusando de acessórios de flores ou que brilham. Além disso, se pintam dos pés à cabeça com tintas que brilham no escuro. Logo na entrada da praia tem um monte de barraquinhas para você se transformar e entrar no clima! As bebidas oficiais da festa são servidas nos tradicionais baldinhos “buckets”, em que você escolhe a combinação do coquetel que quer beber, como por exemplo, vodka com energético e refrigerante, mistura tudo no baldinho e dá-lhe ressaca no dia seguinte! Na praia há diversos djs tocando, cada um com estilo de música diferente, mas a atração por lá são os shows de pirofagia, onde os nativos ficam fazendo performances com fogo e os turistas bêbados também querem entrar na brincadeira, como passar por debaixo da corda e com isso no dia seguinte se vê um monte de gente com queimaduras e curativos pela ilha!

Devidamente caracterizadas, já com os nossos baldinhos.

E a noite vai longe com a brincadeira de quem consegue passar por debaixo do fogo.

De Koh Phangan pegamos um ferry boat e fomos para Koh Tao. Quem tem estômago fraco, se prepare porque dependendo da época o barco sacode bastante!

Ilhas da Tailândia – Koh Tao

Koh Tao pra mim é a mais charmosa e aconchegante das três ilhas que visitei na Tailândia. Com suas águas cristalinas que parecem uma piscina, fica difícil não se encantar por este lugar!

Além de lindo, não faltam opções do que fazer em Koh Tao. Você pode fazer um passeio de barco ao redor da ilha, alugar um caiaque, uma prancha de stand-up paddle, fazer trilhas, alugar uma moto pra explorar a ilha (se bem que isto eu não recomendo e vou explicar mais pra frente o porquê) fazer curso de mergulho ou relaxar na praia e curtir o belo pôr do sol com a vibe incrível deste lugar. Nós alugamos uma prancha de stand-up paddle e remamos de um lado ao outro da Sairee Beach curtindo o pôr do sol da prancha, foi demais!

Dia incrível curtindo a Sairee Beach com nossas pranchas.

Esta ilha da Tailândia também é conhecida por seus cursos de mergulho, com várias escolas por toda a ilha e é um dos lugares do mundo mais baratos para aprender a mergulhar. Muitas escolas oferecem hospedagem durante o curso e as aulas são feitas em quatro dias no mar, já que as praias têm boa visibilidade. No último dia é feito o batismo e você recebe a certificação para mergulhar em outros lugares.

Assim que você desce no pier, está a praia de Mae Haad, com diversas opções de hospedagem e restaurantes, mas a praia principal é a Sairee, que é a maior da ilha e onde fica o centrinho, com suas lojas fofas, restaurantes na orla com vista pro mar, escolas de mergulho, diversos hotéis e bungalows, e claro, várias casas de thai massage para relaxar. A noite há vários bares na beira da praia, com seus shows de pirofagia para impressionar os turistas.

O tradicional barco long tail da Tailândia.

Esse canto da praia de Sairee é lindo demais!

Final da tarde com maré baixa e vários barquinhos retornando dos passeios.

Sente a vibe deste lugar!

Mais ao sul está a praia de Chalok Bay, também com vários hotéis na beira da praia e seus restaurantes nos decks, é um local um pouco mais tranquilo de se hospedar. Caminhando por lá da para ir até a Freedom Beach, que é uma prainha linda, pequena e mais reservada, com apenas um restaurante e lá perto também tem um mirante. Um projeto muito legal que acontece em Chalok Bay é o da New Heaven Dive School, escola de mergulho que tem vários programas de conservação da vida marinha e um deles é o resgate de tartarugas feridas, onde elas são tratadas até que possam retornar ao mar. Todos os dias às 16h é possível ir lá conhecer mais sobre este trabalho, ver as tartarugas e se você tiver sorte, ser escolhido para auxiliar no tratamento e alimentação das bichinhas! S2

Eu ajudando a segurar a bichinha enquanto eles passam remédio. Como gosto de tartarugas!

Ao redor da ilha existem diversas outras praias mais remotas e apesar da ilha ser pequena, para chegar nessas praias você pode encarar uma longa caminhada, pegar um “taxi” ou alugar uma moto, o problema é que as estradas são de terra e acontecem muuuitos acidentes. Eu vi vários e também cai de moto quando estava voltando da praia de Aow Luek, sai da pista e cai na ribanceira, felizmente não aconteceu nada comigo, eu estava com um casal de amigos que me ajudaram, mas quando fui devolver a moto eles tentaram me extorquir ao máximo, cobrando por arranhões que já estavam na moto e querendo trocar peças sem necessidade, chegando a cobrar metade do valor da moto. E nem adianta tentar chamar a polícia, pois todos estão envolvidos na “máfia tailandesa” que existe por lá. Fiquei um tempão negociando com o tailandês para conseguir baixar o valor absurdo que ele cobrou e ter meu passaporte de volta e esse com certeza foi um dos piores perrengues que passei na minha viagem!

Na praia de Aow Luek com o Thiago e a Madu um pouco antes do meu tombo de moto. Amigos queridos que me ajudaram muito durante a viagem.

Agora voltando aos lugares incríveis para conhecer por lá, um passeio imperdível são as ilhas de Nang Yuan. Estas ilhas ficam ao norte de Koh Tao e é bem pertinho para ir com um barco long tail – os famosos taxi-boat, ou até de caiaque. Assim que você chega, logo tem a visão do paraíso, são três ilhotas ligadas por uma faixa de areia branca, com um mar azul turquesa de tirar o fôlego de tão lindo que é! A visibilidade é absurda, perto das pedras da para ver os corais e ouriços, já na faixa de areia o mar vai mudando de cores, começa transparente e vai passando por diversos tons de azuis e verdes. Em uma das ilhas, tem uma trilha que você sobe até um mirante e tem uma vista deslumbrante do local. Com certeza, esta ilha é um dos locais encantadores que não da para deixar de conhecer!

Nang Yuan e seus vários tons de azul.

Vista maravilhosa do mirante.

De Koh Tao partimos para Koh Phi Phi, do outro lado da Tailândia, é um longo trajeto pela frente, pois temos que pegar um ferry-boat, um ônibus e outro ferry-boat. Optamos pelo barco noturno, pois nos informaram que teriam camas, assim iriámos descansando, mas para nossa surpresa quando chegamos eram colchonetes no chão, tão estreitos que ficávamos quase encostados na pessoa do lado, fora que o barco balançava tanto que era difícil dormir desse jeito. Depois descobri que os barcos com camas não saem todos os dias e que na alta temporada, quando enchem eles vendem os barcos menores com colchonetes. Mais uma aventura para o diário de bordo!

Na bagunça do nosso barco.

Ilhas da Tailândia – Koh Phi Phi

Koh Phi Phi é a mais famosa e badalada ilha da Tailândia e também a mais cheia de turistas! Do jeito que eu ouvia falar, pensei que fosse uma disputa grande de pessoas por m² de areia, mas não é bem assim, a ilha estava movimentada quando eu fui, mas nenhum absurdo e isso me surpreendeu positivamente!

Vista do movimento na Maya Bay.

A praia que todos querem conhecer é a Maya Bay, famosa por ser o cenário do filme “A praia”. Esta baía fica em Phi Phi Leh, mas lá não é possível ficar hospedado, então a ilha onde todos se hospedam é a Phi Phi Don e de lá saem os barcos para os passeios nas ilhas próximas. Nesta ilha há diversas agências de turismo e até no próprio hotel ou com pessoas nas ruas é possível contratar o passeio de um dia pelas ilhas. Geralmente os barcos fazem os tours pelos mesmos lugares e alguns que se destacam são:

  • Mosquito Island e Bamboo Island, que são ilhas com areias super branquinhas e o mar transparente, como a maioria na Tailândia!

Bamboo Island em um dia nublado.

  • Monkey Beach, com vários macacos selvagens na praia – cuidado com seus pertences e comidas, pois eles arrancam de você.

Monkey Beach com seus macacos.

  • Pileh Bay, que é uma baía maravilhosa, com paredões rochosos e água verdinha super transparente, cheia de corais, ouriços e peixes coloridos, perfeita para fazer snorkeling.

Se com chuva Pileh Bay já é linda, imagina com sol!

Incrível a cor desta água!

  • A paradisíaca Maya Bay, que é outra baía cercada de rochas, com uma praia de areias branquinhas e mar azul clarinho. É difícil descrever toda a beleza desta praia, só indo lá para entender porque tem atraído atenção de tanta gente. Eu fui em novembro e chegamos no final da tarde, apesar de ter bastante gente, não estava lotada, mas imagino que na alta temporada deva ser o fervo, pois a praia é pequena.

Maya Bay é mesmo surpreendente!

Se você quer ter a Maya Bay apenas para você e um grupo pequeno de pessoas, um passeio legal, mas que precisa reservar com antecedência é o “Sleep aboard”, em que você vai de barco passar a noite por lá. Durante o passeio o barco chega em Maya Bay para ver o pôr do sol e depois aproveitam para explorar a ilha vazia, fazer brincadeiras com o grupo, jantam na ilha e a atração principal quando escurece são os plânctons luminosos, onde é possível nadar e ver seu corpo todo brilhando conforme você movimenta a água – eu tive essa experiência em uma praia no Camboja e é uma sensação incrível, vale muito a pena! Depois disso o grupo dorme no barco e acorda bem cedinho para ver o sol nascer na ilha ainda vazia.

Pôr do sol em Maya Bay.

Agora voltando para Phi Phi Don, esta ilha é pequena e da para fazer quase tudo a pé por lá. A praia principal é Ao Lo Dalam, que é aonde tem toda infraestrutura de hotéis, hostels, restaurantes e lojas e é aonde se concentra todo o burburinho! À noite os bares na praia fervem com seus shows de pirofagia. Nós descobrimos dois bares que ficam no centrinho e achamos bem mais legal do que os da praia, um é o Banana, um rooftop bem gostosinho para tomar uns drinks e o outro é um bar chamado Kong Siam que toca uma banda de rock.

Para quem quer tranquilidade, uma dica é ir para a Long Beach, que é uma praia mais tranquila e tem apenas alguns hotéis. Para chegar lá é só pegar um barco long tail no pier ou fazer uma trilha de uns 40 minutos.

Também descobrimos um restaurante tradicional super simples, mas com uma comida maravilhosa, chamado Papaya. O restaurante fica no caminho para o Viewpoint e é fácil reconhecer, pois as paredes são forradas de papéis com elogios dos clientes, tem até de brasileiros famosos como a Sandy e do Chitãozinho e Xororó! Tudo que comemos lá estava uma delícia e recomendo o camarão com alho e pimenta (garlic and peper shrimp) e o massaman curry, que estavam divinos!

Fachado do restaurante Papaya com seus pratos delicioso. Garlic and Peper Shrimp, Massaman Curry e Pineapple Fried Rice.

Algo legal para se fazer na ilha é ir até o Viewpoint (mirante) para ver a ilha de cima. Leve água e prepare as pernas, pois tem uma escadaria imensa pela frente e uma trilhazinha bem íngreme. Chegando lá o visual compensa a caminhada, da para ver os dois lados da ilha e tem imagens de como a ilha era antes de ser destruída pelo Tsunami. No pôr do sol é bem gostoso sentar em uma das rochas e apreciar a vista maravilhosa do local!

Mirante com a vista dos dois lados de Koh Phi Phi.

Cada ilha que visitei na Tailândia tem seus diferentes encantos, cabe a cada um montar o roteiro de acordo com o que mais gosta de fazer e aproveitar os dias no paraíso! 🙂

Compartilhe.

About Author

Vanila Delevali

Profissional de marketing, praticante de esportes desde criança, adora uma praia e estar em contato com a natureza. O que mais lhe motiva é explorar lugares novos e fazer novas amizades. Recentemente largou tudo para desbravar sozinha 18 países e realizar a maior experiência de sua vida.

Leave A Reply

1 2 3 4 5